quarta-feira, 30 de março de 2011

Poesia.

Preciso dizer que me sinto bem melhor depois de escrever alguma coisa. Ouso dizer, ainda, que tenho 90% do que sinto e/ou penso, escrito.
O que é bem interessante: subentende-se que falo pouco e escrevo muito, com relação aos meus sentimentos. O que é perfeitamente compreensível, tratando-se de uma aspirante a escritora.
Sou adepta de quase todas as formas de escritas existentes. Uma em particular, da qual falo pouco, é a poesia. É preciso, caros leitores, acrescentar de que meu prazer e, por que não dizer, interesse pela leitura surgiu a partir das poesias.
Convenhamos: é muito mais interessante ler um texto tão melodioso e breve, do que ler um jornal - assim, tão sério e preto&branco como ele é. A poesia, a meu ver, é uma das formas textuais mais amigáveis que podemos encontrar.
No entanto, é deliciosamente difícil dar forma às palavras quando se faz poesia. Quase um sadomasoquismo, eu diria. Sofrimento do começo ao fim, mas o sentimento de satisfação é quase inexplicável.

Temos aí, a meu ver, a forma textual mais intensa e abstrata. A poesia, caros leitores, é feita para ser lida e sentida, e não necessariamente para ser compreendida. O único que poderia, de longe, explicar só um pouquinho desta, é o poeta. E mesmo este só tem plena capacidade de compreendê-la quando dentro de seu mundo particular, cheio de palavras, acentos, vírgulas e pontos finais. Não se trata, portanto, de compreender, mas sim, de admirar a beleza das palavras assim, tão bem colocadas umas com as outras.
Deixo-os, queridos leitores, com uma de minhas favoritas: Autopsicografia.


Autopsicografia

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

Fernando Pessoa

quarta-feira, 9 de março de 2011

Bad News :(

Len gostoso s2Hey, queridos leitores!
Venho encarecidamente comunicar-lhes que meu pobre HD morreu oficialmente, sem back-up e sem nada. Espero poder recuperar meus layouts e afins e, hm, isso aí.
A má notícia mesmo é que não sei quando vou conseguir um outro. D: E, oh Deus, é tão triste ficar isolado do mundo! Apesar disso, meu cursinho começa segunda, dia 14, então vou começar a ficar aqui desde às 8h até às 22h. Triste, não? Mas ok,tudo pela USP! ù_ú/

Hoje, ao menos, tenho algumas coisas a dizer.8D O que faz uma pessoa sem computador em plano carnaval? Ela assiste filmes, é claro! Assisti vários, e venho trazer em primeira mão minhas recomendações a vocês. >3

O primeiro que assisti foi Grease, que é um clássico, também conhecido como "Nos Tempos da Brilhantina". Brilhantina, para quem não sabe, é mais ou menos o que hoje conhecemos por gel. Na época do rock, das garotas de saias rodadas e dos rockabilly boys - eu diria final dos anos 50 e durante os 60, mas não tenho certeza - os rapazes usavam brilhantina nos penteados, então virou mais uma das características da época. Se não me engano, a palavra "Grease" quer dizer brilhantina. Estrelado por John Travolta e Olivia Newton-John, é baseado em um musical da Broadway, que basicamente usa o romance entre dois jovens como pano de fundo para mostrar o cotidiano dos adolescentes da época. É lindo, colorido e cheio de músicas bonitinhas e muita comédia. Mais um daqueles clássicos deliciosos de ver com a família. É também é um dos meus favoritos! xD O que me faz suspeita pra falar. *duh*

O segundo foi Pecado Original (Original Sin), com Antonio Banderas e Angelina Jolie. O filme se passa depois da segunda guerra, pelo que entendi, e possui um enredo bastante interessante. Mas cuidado! Não é para crianças. De uma certa forma, acredito que o filme explora, em quase todas as suas formas, o amor doentio, e o que uma pessoa é capaz de fazer por amor. Fora toda essa trama complicada, o filme apresenta várias - eu repito, várias - cenas de sexo explícito (embora não seja cem por cento explícito), e geralmente duram entre 5 e 10 minutos. O filme explora muito essa coisa da sedução, mas até de uma forma meio suja,e há várias cenas em prostíbulos. Portanto, é um bom filme, com o enredo interessante e envolvente e um final muito bacana - e sabemos a minha birra com finais -, mas trata-se de um filme pesado. Não diria que para maiores de 18, mas tirem todos os menores de 14 da sala ao assistir.

O terceiro foi UP - Altas Aventuras, da Disney Pixar. Awwn, foi uma fofura total! Como todo filme da Pixar, foi mais um daqueles que é uma comédia de ponta à ponta, mas que tem um ponto de reflexão no final. As personagens são envolventes e a história é bem interessante. A animação é muito boa, como sempre. Esse é um filme amável, para todas as idades, daqueles pra providenciar uns potões de pipoca e chamar a família toda pra assistir. O final é excelente e de aquecer o coração, super recomendo para todos que ainda não viram!


O último que assisti foi Cirque du Freak: O Aprendiz de Vampiro. Como amante dos vampiros que queimam no sol, posso garantir que este é um filme excelente sobre vampiros, consideravelmente tradicional, onde se faz a troca de sangue para transformar um mortal e se dorme em caixões. O filme é baseado em uma série de livros, então esperamos que haja uma continuação - já o final dá a entender que terá. O elenco conta com Josh Hutcherson, interpretanto Steve - e preciso dizer que ele foi muito divo neste papel! Adoro vilões *duh* - e com Chris Massoglia como Darren, nosso protagonista. Este faz sua estréia nesse filme, e confesso que às vezes acho que ele precisava de mais emoção... Mas acredito que a atuação dele faça jus à sua personagem, já que Darren é descrito como um menino normal e sem-graça que vivia uma vida normal e sem-graça. É um típico filme adolescente, que ilustra a natureza dos vampiros como ela é, e que se divide entre o macabro e o que conhecemos por "filme adolescente". Eu particularmente adorei, e estou esperando ansiosamente pela continuação. O filme é de 2009, e fiquei feliz em achar um filme desse gênero sobre vampiros que não fosse assim tão fantasioso, já que depois de Crepúsculo todo mundo resolveu inventar vampiros do seu jeito. Então,vale a pena conferir, mesmo a galera que curte os rpgs. :D

Este post, queridos, fica por aqui,e foi só pra matar a saudade dos posts grandes e com conteúdo. Espero que tenham gostado e que eu os tenha ajudado com os planos para o fim de semana! o/
Kisu Kisu, Ja Ne!

Ouvindo o povo conversando na biblioteca.
Beijos para Tappi, Tomie, Vini, Yuu-chan e todos os amiguinhos queridos! <3 P.S.: Becky, saudades querida. :0 Mande um email pra eu saber que está viva!