quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Encanto.

É tão difícil saber que não posso te ter... Tão assim, sem sentido, essa coisa tão linda que existe entre nós. Quanto mais perto de ti, mais longe da realidade, mais ilusões a alimentar meu pequeno conto de fadas, onde juntos estamos, eu e você. Cada minuto que se passa do meu dia tem um pouco de você e, ainda assim, você nunca está presente.
Por quê tem que ser assim, justo você?
Se tem tantas gotas no oceano, porque só uma me parece brilhar tão intensamente? Se há tantos grãos de areia, porque só um me é especial? O que há em você que te faz assim, tão brilhante, tão amado, tão você?
Com tantas pessoas nesse mundo, precisava ser você, justamente.
Cada detalhe, cada pequena coisa me lembra você. Uma música, um doce, um momento, uma palavra, um filme, um comentário descontraído... Não existe mais um eu, se não há um você. Como dois que se completam e tornam-se um, somos assim, tão nós, que o que resta de mim já não tem mais sentido se não há uma parte de ti pra completar. Depois de você, fiquei assim, uma existência sem sentido.
Encantei-me perdidamente.
Você, minha doce salvação, foi, no fim, o meu pecado.


Nenhum comentário: